English

Portugues

BRL VACINAS

Dicas para prevenir a Hepatite B

Dicas para prevenir a Hepatite B

A hepatite B

Doença provocada por um vírus que gera irritação e inflamação no fígado, a hepatite B é também conhecida por amarelão e por hepatite infecciosa. A hepatite B é um dos vários tipos de hepatite e, uma vez dentro do organismo humano, o vírus responsável pela condição se multiplica rapidamente e ataca os hepatócitos, células específicas do fígado, o que leva à irritação e à inflamação características da condição.

 

A hepatite B pode ser passada de pessoa para pessoa através do sangue, através do sêmen, de saliva, de secreções e também da mãe par ao filho antes ou durante o parto. É considerada, portanto, uma doença sexualmente transmissível e fazer uso de camisinha é uma das formas de se manter protegido da doença.

 

São várias as causas que podem levar à condição, assim como, diversos fatores de risco deixam algumas pessoas mais predispostas a tanto do que outras. Ter atenção às causas e aos fatores de risco são medidas fundamentais para poder prevenir a hepatite B.

 

Como se adquire?

A hepatite B é uma doença que pode ser transmitida de pessoa para pessoa durante o sexo, pois o vírus pode estar presente em secreções, no sêmen e no sangue. É também muito comum a infecção com o vírus através do uso de drogas injetáveis, devido ao compartilhamento de seringas. Transfusões de sangue também podem, infelizmente, levar ao desenvolvimento da doença em certos casos.

O vírus da hepatite B pode também ser transmitido da mãe para o filho durante a gestação ou ainda da mãe para o filho durante o parto. Além disso, alguns fatores de risco deixam certas pessoas mais vulneráveis do que outras à condição.

 

vacina contra a hepatite B

 

Fatores de risco

Pessoas que têm o hábito de variarem muito o parceiro sexual ficam mais vulneráveis à condição. Fazer sexo sem proteção é outro fator de risco para a hepatite B, assim como já ter sido diagnosticado com outra doença sexualmente transmissível como a gonorreia ou a clamídia, por exemplo.

Outro fator de risco é fazer uso de drogas injetáveis ou viajar para locais em que a condição não é ainda bem controlada, visto que em muitos países os indivíduos não têm acesso à vacina para a prevenção. Por fim, trabalhar na área da saúde e estar em contato com sangue de desconhecidos também é um fator que deixas as pessoas mais vulneráveis à hepatite B.

 

Sintomas

A hepatite B é uma condição que gera irritação e inflamação no fígado. Os sintomas tendem a surgir depois de passados 4 meses quando do contato com o vírus e a intensidade pode variar bastante dependendo de caso para caso.

Alguns dos mais comuns sintomas quando da hepatite B são dores na barriga, febre, urina escura, perda do apetite, vômitos, fraqueza, náuseas, dor nas articulações, pele amarelada e fadiga. Na grande maioria das vezes, os sintomas desaparecem depois de um tempo, o que caracteriza a hepatite aguda. No entanto, a hepatite pode se tornar crônica quando o organismo não dá conta de combater o vírus, e nesses casos, a condição pode levar a sérias complicações quando não devidamente tratada.

 

O que fazer?

Diante dos sintomas um médico deve ser procurado. Um exame físico cuidadoso deve ser feito de forma a verificar alterações no fígado, sendo que as suspeitas podem ser confirmadas através de exames de imagem. Para confirmação do diagnóstico, exames de sangue com marcadores sorológicos podem ser solicitados.

Após a confirmação do caso, o tratamento mais adequado deve ter início o quanto antes. A hepatite aguda pode ser tratada com o uso de determinados medicamentos para amenização dos sintomas enquanto se espera o vírus ser combatido pelo organismo. Já a hepatite B crônica deve ser tratada com antivirais e, no caso de cirrose avançada devido à condição, pode ser necessário um transplante de fígado.

 

Dicas para prevenir a Hepatite B

A hepatite B é uma condição que pode ser facilmente evitada, basta tomar todas as medidas preventivas necessárias e ter conhecimento das causas que levam à doença. Antes de mais nada, importante frisar que todos os recém-nascidos devem, até os 6 meses, tomar as 3 doses da vacina contra hepatite B, sendo a primeira aplicada logo no nascimento. Profissionais da saúde também devem ser vacinar contra a condição, assim como, recém-nascidos de mães com a condição devem receber uma imunização especial e a vacina contra hepatite em até 12 horas após o nascimento.

É fundamental praticar o sexo seguro de forma a evitar essa e outras condições, além disso, evite manter relações sexuais com pessoas que tenham hepatite B. Não faça uso de drogas injetáveis, muito menos, compartilhe seringas. Da mesma forma, é importante utilizar objetos em conjunto com pessoas desconhecidas, especialmente escovas de dente e laminas de barbear. Essas são dicas básicas para evitar a hepatite B. Lembrando que a condição não pode ser transmitida pelo abraço, toque ou contato casual e que nenhuma pessoa deve sofrer discriminação pela sua condição.

Compartilhe essa página