English

Portugues

BRL VACINAS

H1N1 já matou 1.233 pessoas no Brasil em 2016, segundo ministério

H1N1 já matou 1.233 pessoas no Brasil em 2016, segundo ministério

Em uma semana, foram registradas 112 novas mortes pelo vírus.
País já tem maior número de mortos por vírus desde pandemia de 2009

Desde o início do ano até o dia 25 de junho, 1.233 pessoas morreram em decorrência do vírus H1N1 no Brasil, segundo novo informe epidemiológico publicado pelo Ministério da Saúde. Em uma semana, desde a divulgação do boletim anterior, foram registradas 112 novas mortes pelo vírus.

Ao todo, foram notificados 6.569 casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) por influenza A/H1N1 ao longo de 2016. A SRAG é uma complicação da gripe. Em uma semana, foram registrados 698 novos casos de SRAG por H1N1 no país.

Além das mortes pela influenza A/H1N1, houve ainda 108 mortes por outros tipos de influenza. São Paulo foi o estado com o maior número de mortes por influenza, correspondendo a 41,2% do total no país.

Este já é o maior número de mortes por H1N1 desde a pandemia de 2009, quando 2.060 pessoas morreram em decorrência do vírus no Brasil. No ano passado inteiro, o país registrou 36 mortes por H1N1; em 2014, tinham sido 163 e, em 2013, 768.

Vírus chegou antes do previsto
Este ano, o vírus chegou antes do previsto, atingindo uma população vulnerável por ainda não ter tomado a vacina.

Especialistas discutem várias hipóteses que podem explicar a antecipação da chegada do vírus, que vão desde fatores climáticos até o aumento de viagens internacionais que podem ter trazido o H1N1 que circulava no hemisfério norte. Mas não há uma explicação definitiva para a chegada precoce do vírus.

Número de mortes por H1N1 por estado

São Paulo: 517
Rio Grande do Sul: 142
Paraná: 136
Mato Grosso do Sul: 64
Goiás: 57
Rio de Janeiro: 47
Espírito Santo: 43
Santa Catarina: 41
Minas Gerais: 44
Bahia: 25
Pará: 23
Pernambuco: 14
Distrito Federal: 13
Paraíba: 11
Ceará: 12
Rio Grande do Norte: 7
Mato Grosso: 8
Alagoas: 5
Amapá: 4
Amazonas: 4
Acre: 2
Maranhão: 1

 

Fonte: Globo G1

Compartilhe essa página