HEPATITE A

A Hepatite A é uma doença causada por um vírus. Os sintomas são parecidos com os da gripe, porém também ocorrem alterações no fígado e a pessoa fica com as mucosas amareladas (quanto mais velha, mais chances de ficar com uma aparência amarelada). Há casos em que o paciente não desenvolve sintoma nenhum; em outros, surgem poucos sintomas e são raras as vezes em que a pessoa falece.

Dividimos a doença da seguinte forma:

Incubação (do contágio até os primeiros sintomas) – Varia de 15 a 45 dias (média de 30 dias);

Fase inicial ou pré-amarelada (pré-ictérica) -Duração média de 7 dias. Surgem: mal-estar, dores de cabeça, febre baixa, falta de apetite, fraqueza, fadiga intensa, dor nas articulações, náuseas, vômitos, desconforto abdominal (na região abaixo das costelas do lado direito), aversão a alguns alimentos e à fumaça de cigarro;

Fase do amarelado (fase ictérica) -Dura de 4 a 6 semanas. De 2 a 3 dias antes, a urina fica escura. Pode ocorrer coceira, fezes claras, aumento do fígado e do baço. A febre, a dor nas articulações e a dor de cabeça vão desaparecendo.

Recuperação – Retorno da sensação de bem-estar. A cor amarelada vai desaparecendo e as fezes e a urina voltam à sua coloração normal.

Transmissor – Principalmente o ser humano. Também primatas, como chimpanzés e saguis.

Forma de transmissão -Através das fezes contaminadas da pessoa doente que contamina a pessoa sadia através da boca (fecal-oral); por água contaminada; alimentos contaminados; no contato direto com o doente ou através de objetos contaminados. A transmissão através de ferimentos na pele e por transfusão de sangue é rara.

Período de transmissão – De 2 semanas antes do início dos sintomas até o final da segunda semana de doença.

Complicações – O prolongamento da doença por vários meses, podendo chegar a até 1 ano, é muito raro. Através dos exames TGP e TGO (transaminases) é possível controlar se as enzimas do fígado estão em níveis muito elevados. A forma mais grave da Hepatite A (fulminante) apresenta letalidade de 40% a 80%. Nesses casos, ocorre a morte de várias células do fígado (necrose), e os primeiros sinais e sintomas são brandos e inespecíficos. A pessoa fica amarelada (com icterícia) e indisposta, sua urina escurece, a coagulação do sangue fica anormal, a insuficiência do fígado instala-se entre 10 e 30 dias e o paciente entra em coma em poucos dias.

 

HEPATITE B

A Hepatite B é uma doença causada por um vírus e que pode ou não manifestar sintomas no portador. Em casos extremos, pode levar à morte. Na forma aguda (de curta duração), os sintomas vão desaparecendo aos poucos. Algumas pessoas, dependendo da idade, desenvolvem a forma crônica (de longa duração), mantendo um processo inflamatório do fígado por mais de 6 meses. A probabilidade de uma pessoa desenvolver a forma crônica é de 90% em crianças menores de 1 ano; de 20% a 50%, entre 1 e 5 anos; entre 5% e 10% em adultos.

Sintomas – mal-estar; dor de cabeça; febre baixa; anorexia; fraqueza; fadiga; dor nas articulações; náuseas; vômitos; desconforto no tórax do lado direito; aversão a alguns alimentos e ao cigarro; icterícia (cor amarelada nos olhos) – esta geralmente se inicia quando a febre desaparece, podendo ser precedida por urina escura e fezes esbranquiçadas -; fígado aumentado; baço aumentado.

Os sintomas podem demorar de 30 até 180 dias para aparecer, após a pessoa ter-se infectado (a média fica entre 60 e 90 dias).

Transmissor – O ser humano.

Forma de transmissão – Por via sexual; transfusões de sangue; procedimentos médicos e odontológicos; hemodiálises sem as adequadas normas de biossegurança; transmissão mãe-filho (durante a gestação); por contatos íntimos em casa (compartilhamento de escova dental e lâminas de barbear); acidentes com algum tipo de sangramento; compartilhamento de seringas e de material para a realização de tatuagens e piercings.

Período de transmissão – A pessoa infectada pode passar o vírus da Hepatite B para outras pessoas de 2 a 3 semanas antes do aparecimento dos primeiros sintomas, bem como durante a evolução da doença. O portador crônico (por longo período) pode transmitir por vários anos.

Complicações – A Hepatite pode durar anos. O portador também pode desenvolver cirrose hepática e suas complicações: acúmulo de líquido no abdome, hemorragias digestivas, peritonite (inflamação da membrana que reveste o sistema digestivo), distúrbios neurológicos e câncer no fígado.

Lembre-se: não se automedique. Sempre procure seu médico. Ele poderá indicar o melhor tratamento para que você recupere sua saúde.

Informações sobre a vacina Conjugada contra Hepatite A e B

O que previne:

Infecções do fígado (hepatites) causadas pelos vírus da hepatite A e hepatite B.

Do que é feita:

Trata-se de vacina inativada, portanto, não tem como causar a doença.

É composta do vírus inativado (morto) da hepatite A e da proteína de superfície do vírus da hepatite B. Também possui em sua composição: sais de alumínio, formaldeído, sulfato de neomicina, fenoxietanol, polissorbato 20, cloreto de sódio e água para injeção.

Indicação:

Crianças a partir dos 12 meses, adolescentes e adultos.
É uma boa opção para pessoas que não foram vacinadas contra as duas hepatites.
Contraindicação:

Pessoas que apresentaram anafilaxia provocada por qualquer componente da vacina ou por dose anterior.
Pessoas que desenvolveram púrpura trombocitopênica após dose anterior de vacina com antígenos do vírus da hepatite B.
Esquemas de doses:

Para crianças e adolescentes a partir de 1 ano e menores de 16: duas doses com intervalo de seis meses.
Para adolescentes a partir dos 16 anos, adultos e idosos: três doses, sendo a segunda aplicada um mês após a primeira, e a terceira, cinco meses após a segunda.
Pessoas com indicação de dose dobrada da vacina hepatite B ou esquema de quatro doses, devem receber complementação com a vacina hepatite B.

Via de aplicação: Intramuscular profunda.

Cuidados antes, durante e após a vacinação:

Não são necessários cuidados especiais antes da vacinação.
Em caso de febre, deve-se adiar a vacinação até que ocorra a melhora.
Compressas frias aliviam a reação no local da aplicação.
Qualquer sintoma grave e/ou inesperado após a vacinação deve ser notificado ao serviço que a realizou.
Sintomas de eventos adversos graves ou persistentes, que se prolongam por mais de 24 a 72 horas (dependendo do sintoma), devem ser investigados para verificação de outras causas.

 

Efeitos e eventos adversos:

Reações no local da aplicação, como vermelhidão e inchaço por mais de 24 horas e dor intensa foram relatados por 1,5% dos vacinados. Eventos gerais como febre, dor de cabeça, mal-estar, cansaço, náusea e vômito ocorrem com 0,3% a 10% dos vacinados. Não há relato de eventos adversos graves, mas podemos esperar o mesmo risco que existe para as vacinas isoladas hepatite A e hepatite B.

Onde pode ser encontrada:

Em clínicas privadas de vacinação.